11 de setembro (2001) | EUA sofrem maior ataque da história

“Protegido por uma máscara que consegui com um dos bombeiros, pude ultrapassar três bloqueios policiais e estou a poucos passos dos fundos do que sobrou das estruturas das duas torres. O ar está tomado por uma mistura de pó branco com fumaça preta. É meio-dia, o sol brilha alto, mas ao lado do World Trade Center está escuro como noite. Além do ar sufocante e do calor que emana das duas construções em fogo, há um desagradável cheiro doce de queimado, que embrulha o estômago.” – Trecho de “Corpos, destroços e confusão compõe o cenário de horror”, do correspondente da Folha em Nova York, Sérgio Dávila

No início da manhã de 11 de setembro de 2001, 19 sequestradores (membros da organização fundamentalista islâmica al-Qaeda) assumiram o controle de quatro aviões comerciais (dois Boeing 757 e dois Boeing 767) em rota para a Califórnia (três indo para o LAX, em Los Angeles, e um para São Francisco), após decolar de Boston, Massachusetts; Newark, Nova Jersey e Washington, D.C. Aviões grandes com longos voos foram intencionalmente escolhidos para o sequestro porque seriam fortemente impulsionados.

As trajetórias de voo dos quatro aviões sequestrados usados ​​nos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001.

Os quatro voos foram:

  • Voo 11 da American Airlines: deixou o Aeroporto de Boston às 07:59 com rota para Los Angeles e uma tripulação de 11 membros e outros 76 passageiros, não incluindo os cinco sequestradores. Os terroristas colidiram o avião contra a Torre Norte do World Trade Center às 08:46;
  • Voo 175 da United Airlines: deixou o Aeroporto de Boston às 08:14 em rota para Los Angeles com uma tripulação de nove membros e 51 passageiros, sem incluir os cinco sequestradores. Os terroristas colidiram o avião contra a Torre Sul do World Trade Center às 09:03;
  • Voo 77 da American Airlines: deixou o Aeroporto Internacional Washington Dulles, na Virgínia, às 08:20 em rota para Los Angeles com uma tripulação de seis membros e outros 53 passageiros, não incluindo cinco sequestradores. Os terroristas colidiram o avião contra o Pentágono às 09:37;
  • Voo 93 da United Airlines: deixou o Aeroporto Internacional de Newark às 08:42 em rota para São Francisco, com uma tripulação de sete membros e outros 33 passageiros, não incluindo os quatro sequestradores. Depois que os passageiros se rebelaram, os terroristas derrubaram o avião no chão, perto de Shanksville, na Pensilvânia, às 10:03.

Houve um total de 2.996 mortes, incluindo os 19 sequestradores e as 2.977 vítimas. As vítimas foram distribuídas da seguinte forma: 246 nos quatro aviões (onde não houve sobreviventes), 2606 na cidade de Nova Iorque e 125 no Pentágono. Todas as mortes ocorridas foram de civis, exceto por 55 militares atingidos no Pentágono.

O primeiro ano do século 21 começava de maneira amedrontadora.


Os EUA sempre estiveram envolvidos em guerras e desta vez não seria diferente. Depois de investigações coordenadas pelo Departamento de Estado norte-americano e o FBI, os EUA já tinham um alvo: os extremistas do Taleban. Passados 26 dias do ataque ao WTC e ao Pentágono, os americanos, junto de aliados (Reino Unido, França e Canadá), começavam a retaliação ao Afeganistão. Os americanos travaram o que é considerada a guerra mais longa na qual se envolveram, terminada oficialmente em 2014.

Os desdobramentos não se limitaram a uma guerra que duraria 13 anos. Depois do Afeganistão, foi a vez do Iraque sofrer ofensiva norte-americana. Em 20 de março de 2003, os EUA atacaram o Iraque.

Em menos de dois anos os EUA enviavam milhares de homens ao Afeganistão e ao Iraque a fim de dar cabo ao “terror”. Com a morte de Saddam Hussein, em 2006, executado por enforcamento pela morte de 148 xiitas, restava um grande líder árabe para fazer justiça aos ataques de 11 de setembro: Osama bin Laden.

Finalmente, em 1º de maio de 2011, o exército americano conseguiu executar seu inimigo nº 1. Bin Laden foi morto em um esconderijo em Abottabad, a 115 km de Islamabad, capital do Paquistão, após tiroteio com forças dos EUA.

Veja abaixo uma lista dos mais devastadores ataques desde 11 de setembro de 2001 – com a exceção de áreas de crise e de guerra no Iraque, Afeganistão e Síria.

Reino Unido

  • 19/06/2017 – Uma van avançou contra fiéis que saíam da mesquita de Finsbury Park em Londres deixando um morto e dez feridos. O motorista, um homem de 48 anos, foi detido pelas pessoas que estavam no local antes de ser preso pela polícia. Relatos de testemunhas indicam que o atropelamento teria sido proposital. A polícia confirmou que todas as vítimas pertenciam à comunidade muçulmana de Londres. O Conselho Muçulmano Britânico qualificou o incidente como a “mais violenta manifestação de islamofobia até hoje”.
  • 03/06/2017 – Três homens em uma van avançaram contra pedestres na Ponte de Londres, na região central da capital britânica, atropelando dezenas de pessoas antes de se dirigirem ao Borough Market, um local repleto de bares e restaurantes, e esfaquearem vários frequentadores. O ataque deixou sete mortos e 48 feridos. Os suspeitos, que vestiam coletes com explosivos falsos, foram mortos pela polícia.
  • 23/05/2017 – Um britânico de origem líbia realizou um ataque suicida em Manchester, após o show da cantora Ariana Grande. A explosão deixou 22 mortos e mais de 60 feridos. Mais da metade das vítimas era menor de 16 anos. Foi o ataque terrorista mais mortal no Reino Unido desde os atentados de julho de 2005. O “Estado Islâmico” assumiu a responsabilidade.
  • 22/03/2017 – Um motorista avança com um carro contra pedestres na ponte Westminster, no coração de Londres, matando duas pessoas. Em seguida, ele esfaqueia e mata um policial nos arredores do Parlamento britânico, antes de ser baleado e morto por policiais.
  • 22/05/2013 – Em Londres, um soldado é morto na rua a golpes de faca e machadinha. Os dois autores do crime fogem. A polícia prende os homens, dois britânicos convertidos ao islamismo.
  • 07/07/2005 – Em Londres, quatro terroristas suicidas detonam bombas em suas mochilas, quase ao mesmo tempo, dentro de um ônibus e do metrô, matando 52 pessoas e ferindo 700.

Bélgica

  • 22/03/2016 – Terroristas suicidas detonam várias bombas no aeroporto de Bruxelas e numa estação de metrô, matando 32 pessoas.

Alemanha

  • 19/12/2016 – Em Berlim, um tunisiano invade um mercado de Natal com um caminhão, matando 12 pessoas. O terrorista consegue fugir, viajando através da Europa até ser baleado e morto por policiais no norte da Itália, três dias mais tarde. O “Estado Islâmico” assume responsabilidade pelo atentado.
  • 24/07/2016 – Em Ansbach, um refugiado sírio de 27 anos detona explosivos presos ao próprio corpo na entrada de um festival de música, ferindo várias pessoas. O EI reivindica responsabilidade pelo ataque.
  • 18/07/2016 – Um refugiado de 17 anos do Afeganistão ataca passageiros de um trem perto de Würzburg, no sul do país, com um machado e uma faca. Várias pessoas ficam gravemente feridas, e o agressor é morto pela polícia durante a fuga. O ataque teve, possivelmente, motivação islâmica. O rapaz supostamente teria tido contato com o EI.
  • 16/04/2016 – Em Essen, três homens são feridos pela explosão de uma bomba caseira na entrada de um templo sikh, um deles gravemente. Os três autores do ataque, adolescentes de 16 anos, são presos. Eles tinham contato com salafistas alemães.
  • 26/02/2016 – Uma adolescente de 15 anos, alemã de ascendência marroquina, esfaqueia um policial no pescoço na estação central de Hannover, cidade no norte da Alemanha. Ela tinha ligações com radicais salafistas.
  • 02/03/2011 – No aeroporto de Frankfurt, um albanês de Kosovo ataca, gritando a “Allahu akbar” (“Alá é grande”, em árabe) um ônibus do Exército americano, matando a tiros dois soldados americanos e ferindo gravemente outros dois.

França

  • 26/07/2016 – Em Saint-Etienne-du-Rouvray, perto de Rouen, dois homens de 19 anos invadem uma igreja durante a missa, degolam o padre, de 86 anos, e ferem gravemente um fiel. Ambos os criminosos são mortos a tiros pela polícia. O EI reivindica o ataque.
  • 14/07/2016 – No Dia da Bastilha, um islamista avança com um caminhão contra uma multidão em Nice, matando 84 pessoas.
  • 16/07/2016 – Em Magnanville, um homem esfaqueia um policial. Segundo testemunhas, ele gritou “Allahu akbar” durante o ataque. Depois, ele faz a mulher e o filho do policial como reféns e, mais tarde, mata a mulher. Forças especiais da polícia matam o criminoso, que já havia sido processado por crimes violentos. O presidente francês, François Hollande, classifica ocorrido de “ato terrorista”.
  • 13/11/2015 – Em uma série de ataques contra bares, restaurantes e uma sala de shows em Paris, 130 pessoas são mortas e cerca de 350, feridas.
  • 07/01/2015 – Dois terroristas invadem a redação do jornal satírico Charlie Hebdo, em Paris, e matam 12 pessoas, sendo mortos em um tiroteio com policiais. Um terceiro extremista invade um mercado de produtos kosher, matando quatro pessoas, antes de ser morto pela polícia.

Espanha

  • 17/08/2017 – Em Barcelona, uma van foi usada para atropelar pedestres por 600 metros da Rambla, atingindo mais de 100 pessoas. O Estado Islâmico reivindicou o ataque. Menos de 10 horas depois, um Audi A3 foi usado para atropelar pedestres, em Cambrils, cidade a 117 km de Barcelona. A polícia reagiu, matando cinco suspeitos de promover o novo ataque terrorista. Além das 14 pessoas mortas em Barcelona (13 atropeladas e um homem esfaqueado), uma mulher que foi atropelada em Cambrils e não resistiu aos ferimentos.
  • 03/01/2004 – Em Madrid, dez bombas explodem dentro de quatro trens lotados de passageiros. São os primeiros grandes atentados realizados por islamistas na Europa Ocidental. As explosões matam 191 pessoas e ferem mais de 1.800. A rede terrorista Al Qaeda assume a autoria.

Turquia

  • 21/08/2016 – Em uma festa de casamento em Gaziantep, pelo menos 54 pessoas são mortas num ataque suicida. Ancara culpa o EI pelo atentado. Nenhum grupo assume a autoria do ataque.
  • 28/06/2016 – Supostos membros do grupo terrorista EI realizam um ataque no aeroporto de Istambul, matando 45 pessoas e ferindo mais de 200.
  • 12/01/2016 – Um terrorista suicida mata 12 turistas alemães ao explodir uma bomba em uma praça em Istambul.
  • 10/10/2015 – Um atentado durante uma passeata antigoverno em Ancara deixa mais de 100 mortos. Mais uma vez, o EI é tido como suspeito.

Rússia

  • 31/10/2015 – Um avião de passageiros russo da companhia aérea Kolavia cai na Península do Sinai, no Egito. O avião fazia a rota de Sharm el-Sheikh para São Petersburgo. Todos os 224 passageiros, na maioria russos, morrem. O Estado Islâmico reivindica o atentado.
  • 24/01/2011 – Um ataque suicida no aeroporto de Domodedovo, em Moscou, deixa 37 mortos e 100 feridos.
  • 09/03/2010 – Um atentado suicida no metrô de Moscou deixa 40 mortos e 84 feridos.

Indonésia

  • 12/10/2002 – Radicais islâmicos realizam ataques em Bali. Alvos são clubes noturnos frequentados principalmente por turistas. Atentados matam 202 pessoas, a maioria das vítimas é da Austrália.

Índia

  • 28/11/2008 – Mais de 170 pessoas morrem em ataques de vários comandos terroristas com armas automáticas e granadas de mão em Mumbai.
  • 11/07/2006 – Também em Mumbai, sete bombas explodem sucessivamente em trens lotados e em estações ferroviárias. O ataque é considerado o primeiro grande ato de terrorismo islâmico desde o 11 de Setembro. A série de ataques deixa cerca de 190 mortos e mais de 700 feridos.

Paquistão

  • Desde o início de 2016, mais de 170 pessoas são mortas em atentados. Em outubro, terroristas disparam indiscriminadamente contra cadetes de uma academia de polícia na cidade de Quetta. O Estado Islâmico reivindica o atentado. Em setembro, é realizado um ataque suicida em uma mesquita no noroeste do país. Em agosto, uma bomba explode em Quetta, em frente a uma clínica. Os talibãs assumem a autoria do atentado. Em janeiro, um artefato explosivo havia sido detonado em um centro de vacinação contra poliomielite.
  • Páscoa de 2016 – Um ataque suicida em um parque infantil em Lahore deixa 70 mortos, incluindo muitas crianças.
  • Dezembro de 2014 ­- Um ataque a uma escola militar em Peshawar deixa 134 crianças mortas.

Quênia

  • 02/04/2015 – Combatentes do Al Shabaab executam um massacre no campus da Universidade de Garissa, no Quênia. Eles entram nos dormitórios dos estudantes, alvejando os cristãos. Quase 150 morrem, a maioria das vítimas são estudantes.
  • 21/09/2013 – Terroristas mascarados invadem o luxuoso shopping center Westgate, em Nairobi, atirando indiscriminadamente e matando 67 pessoas.

Uganda

  • 11/07/2010 – Em Uganda, um ataque a bomba do Al Shabaab mata 76 espectadores da final da Copa do Mundo durante uma exibição pública da partida.

Nigéria

  • No norte do país, de maioria muçulmana, o grupo islâmico Boko Haram vem lutando desde 2009 para criar um Estado islâmico. Em março de 2015, o Boko Haram jurou lealdade ao “Estado islâmico”. Os fundamentalistas sunitas aterrorizam também as áreas adjacentes dos países vizinhos Camarões, Níger e Chade.
  • Na Nigéria, nos primeiros dez meses de 2016, são mortas cerca de 200 pessoas. Muitas vezes, aldeias são simplesmente atacadas. O terrorismo acontece por bombas e ataques suicidas, em um ataque contra um campo de refugiados, contra mesquitas, contra mercados, procissões e em restaurantes. Além disso, um atentado suicida atribuído a islamistas deixa 19 mortos em um bar no país vizinho Camarões.
  • Janeiro de 2015 – Em um dos piores ataques, realizado na cidade de Baga, até 2 mil pessoas foram mortas, segundo relatos da mídia, em um único fim de semana.
  • 14/04/2014 – Em Chibok, no nordeste da Nigéria, 276 alunas de uma escola são sequestradas pelo Boko Haram.
  • 25/12/2011 – Em uma série de ataques contra igrejas, 39 pessoas são mortas nas cidades de Jos, Madalla, Gadaka e Damaturu.

Somália

  • O país é aterrorizado pelos extremistas do Al Shabaab. Os principais alvos dos terroristas são hotéis e restaurantes onde há grande número de turistas, principalmente na capital Mogadíscio. Nos primeiros dez meses de 2016, morrem 47 pessoas vítimas dos terroristas islâmicos.

Tunísia

  • 26/06/2015 – Um militante do EI mata a tiros 38 turistas e fere 35 no balneário de Sousse.
  • 18/03/2015 – Jihadistas invadem o Museu Nacional de Bardo, em Túnis, matando 24 pessoas, sendo a maioria turistas estrangeiros.

EUA

  • 12/06/2016 – Um homem de 29 anos mata a tiros 49 pessoas em um clube noturno em Orlando, o qual é popular entre homossexuais, antes de ser morto por forças especiais da polícia. O atirador havia jurado fidelidade ao EI.
  • 02/12/2015 – Syed Farook e a mulher, Tashfeen Malik, matam a tiros 14 pessoas em uma festa de fim de ano em um centro de assistência a portadores de deficiência.
  • 15/04/2013 – Atentados a bomba durante a Maratona de Boston matam três pessoas e ferem 264.

Fontes:

  1. The Attack Looms. 9/11 Commission Report (National Commission on Terrorist Attacks Upon the United States)
  2. Há 15 anos, EUA sofreram seu maior atentado, POR EDGAR SILVA (Folha de S.Paulo)
  3. Cronologia do terrorismo após o 11 de Setembro

Comentários

comentário(s)