Close

Qual é a cidade mais antiga do mundo?

Mark Twain declarou que a cidade indiana Varanasi era ‘mais antiga que a história, mais antiga que a tradição, mais antiga até mesmo que as lendas e as escrituras’. Ele estava, obviamente, errado. Afinal, qual é a mais antiga cidade continuamente habitada do mundo?

Aleppo
Alepo, Síria – uma das cidades mais antigas, antes da guerra civil. Fotografia: Joel Carillet/Getty

 

Era uma vez uma cidade chamada Crocodilópolis, onde se adorava o deus crocodilo Sobek. O povo de Crocodilópolis era devoto de um representante terreno de Sobek, um crocodilo vivo que eles chamavam de Petsuchos, coberto de ouro e pedras preciosas e mantido em um templo, embora não esteja claro como isso foi feito sem que se perdesse a vida ou um membro. Quando Petsuchos morreu, ele foi simplesmente substituído por outro, um peixinho dourado.

Crocodilópolis foi estabelecida no Nilo, a sudeste de Memphis, mais ou menos em 4000 a.C. Os egípcios a chamavam de Shedet, sendo, possivelmente, a cidade mais antiga no Egito Antigo. A cidade é agora parte da atual Faiyum – o que torna Faiyum, talvez, a mais antiga cidade continuamente habitada do mundo.

Mas é apenas uma possibilidade. Além da fácil tarefa de descartar imediatamente todas as cidades na América do Norte e da Oceania, identificar a mais antiga cidade continuamente habitada do mundo é uma tarefa incerta. Há uma série de reivindicações, mitos e lendas, escavações arquitetônicas e provas em disputa.

Uma das razões para esse imbróglio é a decisão sobre quando um assentamento se torna uma cidade de fato – alguns argumentam que é quando se abandona a autossuficiência e se estabelece o comércio, outros quando se desenvolve um sistema de encanamento. Há também uma discussão nos círculos acadêmicos sobre se é possível chamar de cidade um local antes que se estabeleça  a agricultura.

 O antigo teatro de Roma (construído em algum momento entre 114-117 a.C.) em Plovdiv, Bulgária. Fotografia: De Agostini/W Buss/Getty
O antigo teatro de Roma (construído em algum momento entre 114-117 a.C.) em Plovdiv, Bulgária. Fotografia: De Agostini/W Buss/Getty

Mas mesmo entre as cidades que estão fora do páreo, a discussão vai de Varanasi, na Índia, até Plovdiv, Bulgária. Varanasi (antes conhecida como Benares) tem o apoio de peso de Mark Twain – “Benares é mais antiga que a história, mais antiga que a tradição, mais antiga até mesmo que as lendas e as escrituras, e parece duas vezes mais antiga que a idade de todas as outras juntas“, disse Twain. Suas palavras se apoiam sobre a lenda de que ela foi criada por Shiva em 3000  a.C., enquanto a evidência real sugere que foi fundada no Ganges 2.000 anos depois. Plovdiv, por sua vez, tem evidências muito mais concretas de ter existido em 6000 a.C.

Mas estão no Oriente Médio e no Crescente Fértil o prêmio de área mais fértil da urbanidade antiga. Não que isso torne mais fácil a tarefa de fincar definitivamente a bandeira de cidade mais antiga. Cidades da região não reivindicaram o título, não investigaram as origens, nem tentaram explorar essa ideia trocando-a por dólares do turismo, como energeticamente têm feito outras antigas cidades, como Roma, Atenas ou mesmo Cirencester.

O Iraque, por exemplo, tem Kirkuk, antiga capital assíria de Arrapha, fundada por volta 2200 a.C., com as ruínas de um castelo de 5.000 anos para provar sua tese. Depois, há ainda na vizinhança Erbil, capital da região curda do Iraque, que reivindica assentamentos que datam 6000 a.C.

O Irã, por sua vez, tem Susa – atual Shush.  Nela há uma acrópole (um sinal claro de status das cidades antigas) datada em cerca de 4200 a.C. e com evidências de ter havido habitantes 800 anos antes. A reivindicação de Susa, no entanto, caiu por terra, já que ela foi rebaixada para “pequeno povoado” entre os séculos XV e XX.

Jerusalém e Beirute podem reivindicar urbanização datando 3000 a.C., assim como Jericó, na Cisjordânia. Na verdade, os arqueólogos encontraram evidências de 20 assentamentos em Jericó que datam 9000 a.C. E eles já estavam construindo muros em torno de sua “cidade-protótipo”, com altura de 12 pés e 6 pés de espessura, um feito notável e sem precedentes na arquitetura militar. Jericó, como a Bíblia nos diz, tinha fixação por muros. A cidade, mais tarde, foi tomada por Alexandre, o Grande, e arrendada de Cleópatra por Herodes – depois de ter sido dada de presente a ela por Mark Anthony. O que se dar a uma mulher que tem tudo?

Jericó, porém, tem um problema com o rótulo de “continuamente habitada”, pois esteve abandonada por séculos a fio. Byblos, um refúgio mediterrâneo no Líbano, é, possivelmente, a primeira cidade fenícia, fundada em 7000 a.C. – não tão antiga quanto Jericó, é verdade, mas pelo menos pode reivindicar habitação contínua desde 5000 a.C.

Damasco seria uma séria concorrente de cidade mais antiga: foi citada no livro do Genesis e há evidências de assentamentos que remontam a 9000 a.C. Infelizmente, não há nenhuma evidência clara de atividade significativa no que é hoje Damasco até 2000 a.C. – assim como West Bromwich, surgida sete séculos antes de Birmingham. (Herodes, por sinal, também pode ter sido presenteado com Damasco. Ele estava definitivamente fazendo algo certo.)

Ironicamente, não é Damasco, mas sim Alepo, a pobre e desprezada Alepo, hoje a maior cidade da Síria e páreo duro para com Cairo e Constantinopla, que possui muito mais evidências de ser a cidade mais antiga do mundo. Há evidência de que seus assentamentos remontam a 6000 a.C., mas escavações ao norte da cidade sugerem que nômades errantes tinham se assentado 5.000 anos antes.

Registros escritos mostram que Alepo era uma cidade importante muito antes de Damasco. Foi somente com a abertura do Canal de Suez que Alepo teve sua importância diminuída como cidade comercial. Até sua recente guerra civil, havia sérios esforços para preservar a cidadela, que remonta ao primeiro século antes de Cristo, bem como suas mesquitas e seus banhos turcos. Tudo agora é fumaça e, da cidade velha de Alepo, só restaram escombros e ruína. Talvez seja impossível dizer com certeza qual a cidade mais antiga do mundo – a cada momento surgem novas descobertas –, mas por ora parece certo dar o título a Alepo, atualmente alvo de disputas e sendo saqueada, como todas essas cidades têm sido desde o início.

 


Traduzido do artigo “What is the oldest city in the world?” de , para o The Guardian