Close

Raça Pura: uma história da eugenia no Brasil e no mundo

No mundo moderno temos o dever de ser belos, magros, ter cabelos lisos e parecer “naturais” diante do espelho, de nós mesmos, diante dos outros. E, para conquistar mais saúde, juventude e beleza, os caminhos científicos e industriais não cessam de se multiplicar. O Brasil atualmente é o segundo país no mundo em número de cirurgias plásticas, só perde para os Estados Unidos. Homens e mulheres em busca da perfeição corporal são cortados, costurados, espetados por agulhas, queimados por raios laser, besuntados e massageados com cremes. No entanto, essa busca por se construir o “super-homem” e perseguir uma suposta perfeição já levou diversas nações a atitudes extremadas.

Assim, evoluir a cada geração, se superar, ser saudável, ser belo, ser forte. A democratização da beleza, para alguns; ou a vulgarização dos corpos, para outros; todas essas afirmativas estão contidas na concepção de eugenia. Com status de disciplina científica, a eugenia pretendeu implantar um método de seleção humana baseado em premissas biológicas. E isso através da ciência que sempre se dizia neutra e analítica.

Em Raça pura: uma história da eugenia no Brasil e no mundo, Pietra Diwan – experiente historiadora e pesquisadora do tema – abre a “caixa preta” da eugenia e desata os nós da rede de relações que compõe a empreitada, seus adeptos, incentivadores e financiadores.

Como um país tão miscigenado pôde investir na eugenia, uma idéia que paradoxalmente vai de encontro com a formação racial do Brasil? Quão eugenista é a nossa história? Com narrativa leve e envolvente, a autora mostra como o eugenismo constitui (e é constituído) de uma história que envolveu disputas entre médicos e políticos, entre profissionais de saúde, e entre estes e a Igreja, o Estado e a indústria.

Leitura agradável e estimulante, este livro revelador é de grande valia para historiadores, sociólogos, jornalistas e demais interessados.

“Este livro é uma história surpreendente, que entrelaça desvios científicos, preconceitos raciais, interesses econômicos e ambições políticas. Baseada em rigorosa investigação, Pietra Diwan dá nome aos bois, ou melhor, aos políticos e instituições acima de qualquer suspeita qye organizaram eficientes redes de apoio à disseminação da eugenia no Brasil e no mundo.

Raça Pura é um livro cujo interesse não se esgota no passado. Ao contrário. O risco da emergência de um neo-eugenismo, a partir da manipulação genética e da seleção embrionária, é um tópico do debate atual sobre ciência e ética, para o qual certamente vão contribuir as reflexões estimuladas por esta obra.”

– Oscar Pilagallo, jornalista