Meu Carrinho
0

Hernán Cortez: civilizador ou genocida?

5 avaliações
R$ 47,00 em 1X de R$ 47,00 (Sem Juros)
Parcelas e formas de pagamento
MasterCard
1 x R$ 47,00 (Sem Juros) Total Parcelado: R$ 47,00
Visa
1 x R$ 47,00 (Sem Juros) Total Parcelado: R$ 47,00
Amex
1 x R$ 47,00 (Sem Juros) Total Parcelado: R$ 47,00
Elo
1 x R$ 47,00 (Sem Juros) Total Parcelado: R$ 47,00

Gostaria de receber notificação quando este produto estiver disponível?

Calcular frete e prazo
Entrega Frete Prazo
Digite um CEP e clique no botão OK.
ISBN: 978-85-7244-642-6
Formato: 16 x 23 cm
Lombada:  1,3 cm
Peso: 0,319 kg
Acabamento: Brochura
N. de páginas: 208
Coleção: Guerreiros


Leia um trecho

Figura indissociável da conquista da América, Hernán Cortez guarda muitas ambiguidades. Representa, ao mesmo tempo, o extermínio de um império indígena vasto e populoso e a origem do povo mestiço que constitui o México.
A campanha liderada por Cortez no mundo asteca entraria para a História da cultura ocidental como um dos maiores símbolos do contato entre culturas e o consequente choque de valores de sociedades distintas. E foi a partir desse encontro que um novo mundo, aos poucos, se ergueu e outra sociedade, sincrética, nem europeia e nem indígena, começou a ser formada.
Com base em pesquisa realizada em relatos, cartas, memórias e diários de viagens da época, o autor reconstrói a extraordinária epopeia do guerreiro espanhol, cuja imagem oscila entre o símbolo máximo do conflito, da destruição provocada pelas guerras de conquista, e a representação do nascimento de um mundo novo. Hernán Cortez: civilizador ou genocida? A resposta fica a critério do leitor desta obra, que traz de volta à luz a vida do conquistador que conseguiu derrotar um dos maiores impérios que a América já teve: o asteca.

Luiz Eduardo Oest
Excelente livro

Excelente livro. Leitura envolvente, traçando o perfil do personagem principal, sem maniqueísmos, desafiando o leitor, desde o início, a responder a pergunta do título.

magda fabiane seger
Hernán Cortéz

O livro é bom, ajuda a entender um pouco mais sobre a vida do conquistador, fala de sua relação com Malinche, poderia trazer mais informações, mas é boa leitura.

Claudio José Pinto Ferreira
Cortez não é civilizador

O livro é bom no sentido de trazer detalhes da conquista, mas não concordo com a tentativa de reabilitação do personagem. Percebi um viés de justificação da conquista espanhola como "civilizadores". Cuahutemoc merece uma estátua sim, Cortez não. O povo mexicano só tem 10% de descendentes europeus, não é lógico cultuar um estrangeiro que veio para massacrá-los. Não concordo também com a mensagem passada de que o México hoje está melhor do que estaria, se estivesse ficado nas mãos dos indígenas; em história não podemos fazer exercício de futurologia. O legado que ficou foi o rastro de ganância por ouro, massacres e escravização. Isso não é civilizar, mesmo porque em vários aspectos os Astecas eram culturalmente superiores aos espanhóis. Os Astecas eram imperialistas sim, mas isso não justifica a conduta dos espanhóis nos roubos, estupros e massacres. A invasão espanhola foi um triste capítulo na história da mesoamérica.

Jair Cordeiro Lopes
Hérnan Cortez

O autor deu uma dimensão de bom moço para o Cortez que não é aquilo que gente lê em outras fontes. Pelo que se sabe ele um crápula bem afinado com a arrogância dos conquistadores espanhóis.

RUI DECIO MARTINS
muito bom

A conquista da América por mais que seja discutida sempre é um enigma. Uma das figuras mais polêmicas desse período é exatamente Cortéz. Mas pouco se fala sobre a pessoa e mesmo sobre seus atos e vivência política no novo continente. O livro nos traz muita luz nesse quesito de forma muito "gostosa" de se ler.


Hernán Cortez: civilizador ou genocida?

R$ 47,00

Receba nossa Newsletter

Receba ofertas e novidades exclusivas.
Editora Contexto
-
Rua Doutor José Elias, 520, Alto da Lapa | 05083-030-São Paulo-SP | CNPJ: 57.105.736/0001-41